crianca-e-natureza2

Qual a relação das crianças com a natureza?

O vídeo Criança e Natureza, desenvolvido pelo projeto de mesmo nome, trás informações e reflexões importantes sobre a relação das crianças com o ambiente e sobre diferentes formas de aprendizado. “40% das crianças brasileiras passa uma hora ou menos brincando ao ar livre”, “Nos centros urbanos, as crianças passam 90% do tempo em lugares fechados” são alguns dos dados trazidos no vídeo e que nos possibilitam pensar sobre que experiências e vivências estamos permitindo às crianças e à forma como isso influencia seu aprendizado. Além dos dados, Criança e Natureza traz relatos de mães e de educadoras sobre tal relação.

Criança e Natureza (Português) from Maria Farinha Filmes on Vimeo.

theo1

Sítio do Mato no Mistura com Rodaika!

Sábado, dia 27, o Sítio foi tema do programa Mistura. A Rodaika e seu filho, Théo, passaram o dia conhecendo e cada uma das atividades e dos animais que vivem no sítio. Théo alimentou o batatinha e a Tieta, provou mel das abelhas, pegou ovos no galinheiro e até plantou uma árvore!

Confere aqui o vídeo completo desse dia!

 

por Inverno Studio

 

_MG_0505 (Medium)

A Páscoa está chegando!

Coelho coloca ovo? Quem mais coloca ovos? Mas de chocolate?

As curiosidades que surgem em torno da Páscoa e do coelho são muitas e criam oportunidades de aprender sobre diversos animais e assuntos de maneira natural e lúdica. O Projeto de Páscoa é um dos mais antigos realizados pelo Sítio e um dos que mais nos enche de orgulho e de carinho.

O trabalho é desenvolvido com as crianças pequeninhas, dos anos iniciais. A partir da busca pelo coelho de páscoa – que foi visto no Sítio pelos monitores – circulamos por todo o espaço aprendendo sobre o próprio coelho e sobre os animais e plantas que encontramos pelo caminho. Todos os conhecimentos que surgem vão, assim, sendo relacionados ao tema que costura a visita.

O Projeto de Páscoa já começou, agende sua visita!

O que você quer saber sobre o Sítio do Mato? Deixe um comentário com a sua sugestão!

por Inverno Studio
formacao

Formação no Sítio!

O verão não foi só de descanso, teve também formação de monitores e de guias no Sítio do Mato. A atividade começou pelo relato sobre a história da família e da empresa pela manhã e seguiu pela tarde com troca de conhecimentos e de formas de passar as informações para os alunos, tanto no sítio, quanto nos roteiros.

A formação buscou refletir sobre a prática dos monitores e dos guias nas atividades realizadas com as crianças, assim como discutir novas possibilidades de abordagens partindo dos fundamentos de ecologia e de sustentabilidade dentro de uma propriedade rural familiar.

Andamos por todo o Sítio explorando diferentes formas de passar as informações, assim como diversos conteúdos que podem ser abordados em um mesmo espaço. Cada monitor trouxe seu conhecimento e suas práticas para o grupo, assim, aprendemos uns com os outros. Foram abordadas ainda maneiras de conversar com as crianças, tanto guias, quanto monitores, com o objetivo tornar o aprendizado, para nós e para elas, algo natural e efetivo.

por Inverno Studio

20151216_090633

O Sítio do Mato é feito para vocês

Só existimos porque acreditamos que toda a criança deve ter contato com a natureza, deve encostar nas patas da galinha para descobrir que textura têm, deve correr na grama ou na areia, deve olhar para uma vaca e entender de onde vem o leite, deve ver o peixe sob a água e fazer infinitas perguntas: sobre como ele respira, sobre como ele se alimenta, se não sente frio ou medo de escuro. Toda a criança deve descobrir que a hortelã do chiclete é uma planta bem gostosa e que a cenoura fica mesmo embaixo da terra. Se ela não encostar na minhoca, nunca saberá que o bichinho não tem nada de nojento.

Se a criança já é adulta e ainda tem essas dúvidas, acreditamos que ela também pode perguntar, observar, encostar e vir descobrir se tudo aquilo que aparece nas buscas do Google é verdade. Para nós, a conscientização vem com a experiência e com o contato. No Sítio e nos roteiros.

A zona rural só é valorizada, quando a conhecemos; quando descobrimos de onde vem a alface da feira. A imigração italiana pode ser compreendida com uma peça de teatro, por que não? Podemos aprender caminhando na cidade, pegando o Trensurb, observando um arroio.

Que em 2016 venham novos aprendizados, novas experiências, porque nós aprendemos com vocês a cada visita, a cada passeio.

por Inverno Studio

cuidadocomflores

Você sabe como cuidar das plantas em dias de calor?

As temperaturas mais altas do ano estão chegando, e, por isso, devemos ter alguns cuidados especiais com as nossas plantas. Pensa-se, comumente, que as plantas precisam de mais água nos dias muito quentes. No entanto, o cuidado difere para cada tipo e também de acordo com o local onde ela está alojada. Uma quantidade excessiva de água pode ser prejudicial, por isso, é mais interessante fazer uma rega profunda mais espaçada a regar todos os dias de forma superficial. Desta maneira, as raízes ficam úmidas por mais tempo, mantendo as plantinhas frescas mesmo no calor.

Durante os meses mais quentes do ano, deve-se regar as plantas, preferencialmente, na primeira hora do dia ou no fim da tarde, pois são os momentos em que a temperatura é mais amena. Quando a rega é feita em horários muito quentes e de sol forte, a água evapora rapidamente e não chega à raiz da planta. Em folhagens e flores de vaso, é interessante deixar um pouco de água com areia nos pratos para que elas se mantenham úmidas.

Se possível, é interessante retirar as plantas do contato direto com o sol nas horas mais quentes do dia para evitar queimaduras nas folhas e nas flores. O ideal são zonas frescas, com momentos de sombra e sol ao longo do dia.  O mais importante para manter as plantas cheias de vida durante os meses mais quentes do ano é saber as características particulares de rega e insolação de cada uma.

O que você quer saber sobre o Sítio do Mato? Deixe um comentário com a sua sugestão!

por Inverno Studio
BelemVelho

Capela de Belém Velho e a antiga Porto Alegre

Quando pensamos nos pontos turísticos de Porto Alegre, logo recordamos da Redenção, do Mercado Público, da Usina do Gasômetro. Mas existem partes lindas da cidade que muitas vezes não são lembradas, como a zona rural e as regiões mais afastadas. Neste domingo, tem Caminhos Rurais e o roteiro vai percorrer vários lugares muito especiais; um deles é a capela de Nossa Senhora de Belém.

Belém Velho é a segunda paróquia mais antiga da cidade, sendo precedida apenas pela de Nossa Senhora Madre de Deus, atual Catedral Metropolitana. Por volta de 1824, vivia na região Francisca Maria de Jesus, esposa de Manoel Rodrigues Rangel que era filho do sesmeiro Dionísio Rodrigues Mendes. Francisca era devota de Nossa Senhora de Belém e tinha um oratório particular com uma pequena imagem da santa. Foi essa imagem que, em 1830, provocou a construção da Capela de Nossa Senhora de Belém.

Em 1872, a cabela desabou quase que por completo, restando apenas a capela-mor. Ela somente foi reedificada em 1890 e se tornou o templo de Belém Velho. Em 1924, Francisca Maria de Jesus, dona da chácara onde a capela estava localizada, veio a falecer, doando às terras à Nossa Senhora de Belém. Atualmente, ainda existem na capela alguns objetos dos primórdios de sua construção, como as grades de madeira e a pia de água benta.

A capela de Belém Velho continua sendo um dos principais pontos do bairro. Apesar de ser um dos mais antigos da cidade, os limites de Belém Velho só foram delimitados em 1980, com a lei 4876. Atualmente, o bairro possui uma das menores densidades demográficas de Porto Alegre e é conhecido pela utilização produtiva da terra.

O que você quer saber sobre o Sítio do Mato? Deixe um comentário com a sua sugestão!

por Inverno Studio
plantas aquáticas

Plantas aquáticas

Quem já visitou o Sítio do Mato deve ter reparado na grande quantidade de plantas flutuantes que vivem no nosso açude. Além de deixarem a paisagem mais bonita, essas plantas são muito importantes para a manutenção do ecossistema aquático, pois a presença delas indica que o ambiente é pouco poluído.

As plantas aquáticas são divididas, prioritariamente, em três categorias: flutuantes, emergentes e submersas. Uma das principais famílias das flutuantes é a Nympheaceae. São mais de 70 espécies nenúferas – plantas aquáticas –  dessa família que vivem em água doce. Elas são perenes, ou seja, vivem por um longo período, são rizomatosas (emitem suas raízes do solo), com flores e folhas flutuantes.  A planta mais conhecida dessa família é a vitória-régia. Como ela é típica da região amazônica, não temos nenhuma vitória-régia aqui no Sítio. No entanto, ela é a maior planta da espécie: tem uma folha circular que pode chegar a 2,5 metros de diâmetro e suportar até 40 quilos em sua superfície. A sua flor pode ser branca, lilás, roxa e amarela. Ela expele uma fragrância noturna adocicada e se mantém aberta até a manhã do dia seguinte.

Outra importância ecológica das plantas aquáticas é o fato de servirem como habitat natural para diversos organismos que vivem na água. Esse tipo de vegetação é, também, responsável pela limpeza da água e por atenuar as variações térmicas externas.

O que você quer saber sobre o Sítio do Mato? Deixe um comentário com a sua sugestão!

por Inverno Studio
Susi

Susie: a companheira do Sítio do Mato

Hoje vamos contar um pouco da história de mais uma moradora do Sítio do Mato: a Susi. Ela chegou aqui no Sítio em 2007, com cinco meses de vida. Quando veio morar conosco, chamava-se Barbie; o nome foi prontamente alterado para combinar mais com o jeitinho dela.

A Susie é uma Border Collie, raça considerada a mais inteligente do mundo. Originários da Grã-Bretanha, os cachorros dessa raça eram criados para serem de pastores de ovelhas.  São animais de porte médio e precisam de espaço para fazer exercícios e, assim, desenvolver sua inteligência; por esse motivo, não é indicado ter cachorros da raça Border Collie em apartamento ou lugares pequenos.

A Susie adora aproveitar o espaço do Sítio do Mato para correr e brincar. No entanto, em dias chuvosos, o medo dos trovões faz ela entrar em casa para se abrigar. O curioso é que ela aprendeu a abrir a porta sozinha para se sentir protegida sempre que tem medo.

Além disso, a Susie é super companheira: adora brincar com as crianças que visitam o Sítio e também sempre faz companhia para os moradores quando chegam ou saem de casa.

O que você quer saber sobre o Sítio do Mato? Deixe um comentário com a sua sugestão!

por Inverno Studio
semana do professor

Semana do Professor

Essa foi uma semana muito especial, pois comemoramos no Brasil o Dia do Professor. Aqui no Sítio do Mato, ficamos muito felizes com a data já que admiramos muito todos os profissionais da educação. É sempre muito bom compartilhar momentos e vivências com professoras e professores que trazem seus alunos para aprenderem um pouco mais sobre a natureza aqui no Sítio.

A profissão começou a ser celebrada nessa data porque, em 15 de outubro de 1827, o Imperador do Brasil, Pedro I, decretou a criação do Ensino Elementar no Brasil. De acordo com o Decreto, todas as cidades e vilas deveriam ter suas escolas de primeiras letras. No entanto, foi em 1947, em São Paulo, que a data começou a ser comemorada: alguns professores tiveram a ideia de organizar um dia de parada, para descansar e também prospectar o restante do ano. O professor Salomão Becker sugeriu a data de 15 de outubro já que, em sua cidade natal, Piracicaba, em função do decreto do século XIX, era o dia em que alunos e professores traziam doces de casa para confraternizar.

A confraternização de 1947 foi um sucesso e ficou marcada pelo discurso de Becker: “Professor é profissão. Educador é missão”. No ano seguinte, a celebração se repetiu e se espalhou por outras cidades do país. Em 14 de outubro de 1963, por meio do Decreto Federal 52.682, o Dia do Professor tornou-se nacionalmente feriado escolar.

O que você quer saber sobre o Sítio do Mato? Deixe um comentário com a sua sugestão!

por Inverno Studio